Categoria: Notícias

Insegurança volta ao campo com assaltos a granjas em diversos municípios no RN, causando medo e prejuízos

A sensação de insegurança volta a tomar conta do campo no Rio Grande do Norte. Nos últimos dias são vários os relatos de assaltos a granjas e propriedades rurais em diversas localidades no Estado, causando além do medo, grandes prejuízos.

Os assaltos têm se tornado cada vez mais constantes. Há registros destas ocorrências criminosas na Grande Natal, em Ceará-Mirim, São Gonçalo do Amarante, Taipú e Poço Branco, por exemplo. Proprietários destas áreas reclamam que têm sido difícil manter empregados no campo devido a falta de segurança.

ATENÇÃO, Projeto que aumenta penas para quem desviar recursos destinados ao combate à pandemia pode ser votado na terça-feira na Câmara

25
O Plenário da Câmara dos Deputados pode votar na terça-feira (25) o projeto que aumenta as penas de vários tipos de crimes ligados ao desvio de recursos destinados ao enfrentamento de estado de calamidade pública, como a relacionada à pandemia de Covid-19. A sessão deliberativa virtual está marcada para as 15 horas.

De autoria da deputada Adriana Ventura (Novo-SP) e outros, o Projeto de Lei 1485/20 determina que a pena de reclusão de 1 a 3 anos por associação criminosa será aplicada em dobro se o objetivo é desviar recursos durante estado de calamidade pública.

De acordo com o parecer preliminar da deputada Greyce Elias (Avante-MG), dobram também as penas do capítulo do Código Penal referente a crimes contra a administração pública praticados com esse objetivo, como emprego irregular de verbas públicas (detenção de 1 a 3 meses) e corrupção passiva (exigir ou receber propina), cuja pena é de reclusão de 2 a 12 anos.

Quanto ao crime de corrupção ativa, que ocorre quando alguém oferece propina a funcionário público, a pena de reclusão de 2 a 12 anos poderá dobrar se o ato for cometido com o objetivo de desviar recursos destinados inicialmente ao combate à pandemia.

FONTE: Agência Câmara de Notícias

LAJES: BOLSONARO atende pleito de Benes e autoriza realização de estudos para construção da Barragem do Alívio

O deputado federal Benes Leocádio participou durante toda esta sexta-feira, 21, de uma programação com o Presidente Jair Bolsonaro nas cidades de Mossoró e Ipanguaçu. Na oportunidade, o Presidente autorizou o Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho a iniciar o projeto de estudos para construção da Barragem do Alívio na zona rural de Lajes que beneficiará diversos municípios da região central.

A construção da barragem do Alívio é um sonho que se estende por mais de 80 anos e que foi abraçado pela bancada Federal do RN a pedido de Benes Leocádio. “Já agradecemos o presidente Jair Bolsonaro por reconhecer a importância dessa obra tão sonhada pelos moradores da região Sertão Central Cabugi”, disse Benes em seu perfil nas redes sociais.

FONTE: Robson Cabugi

CAIÇARA DO RIO DO VENTO: Local Net brevemente em fase de expansão na região Central/Potengi, aguardem…

Vem aí brevemente expandindo seus serviços com qualidade, a maior empresa do ramo de internet, a LOCAL NET, está com investimento alto em tecnologia para melhor servir a sua clientela, o empresário WEYBER HUGO, vem liderando este mercado na região Central e expandindo brevemente para outros municípios da região Potengi.

 

Vereador Daniel Faustino tem aniversário hoje

DANIEL FAUSTINO, completa mais uma ano de vida nesta data, Vereador hoje com seguidos mandatos consecutivos, tem pautado sua vida como Legislador atuante e uma identificação muito próxima da população carente em nosso município e também junto as famílias de agricultores familiares quando na oportunidade de seu licenciamento do Legislativo Municipal, para exercer como secretário municipal de agricultura por um período nesta amada urbe amada de todos nós.

 

Fátima: “Governo optou por fortalecer a rede pública e já são 390 novos leitos”

Ao conceder entrevista coletiva para atualização dados epidemiológicos e prestação de contas das ações do Governo no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, nesta quarta-feira, 24, a governadora Fátima Bezerra se solidarizou com as famílias que sofreram perdas para a Covid 19 e disse que a administração estadual optou por fortalecer a rede de leitos da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). “Conseguimos instalar 390 novos leitos, entre críticos e clínicos e continuamos trabalhando para expandir mais leitos”, informou.

Há, ainda, previsão de abertura de mais de 70 leitos por todo o Estado. Até final do mês de junho serão abertas mais 20 Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) no Hospital João Machado, em Natal, outras 17 vagas em Pau dos Ferros sendo 11 UTIs e 6 leitos clínicos, dois leitos UTI em Caicó, 10 UTIs e 6 leitos clínicos em Assu. Em Mossoró, foram abertos 5 recentemente e há previsão de novos leitos até dia 30 no Hospital São Luiz, assim como no Hospital Pedro Germano em Natal. Em Guamaré será aberta mais uma UTI, enquanto no Hospital Belarmina Monte, em São Gonçalo do Amarante, há 5 UTIs e deverão ser abertas mais 5. Nas cidades de João Câmara e Santo Antônio está em curso a instalação novos leitos UTI e de retaguarda para pacientes Covid.

“O Governo presta contas todo dia do trabalho que faz na execução do plano de contingência para a Covid. Nosso objetivo é dar respostas à população neste momento aflitivo no RN, no Brasil e no mundo”, afirmou a governadora. Ela acrescentou que a gestão estadual mantém diálogo com a sociedade, trabalhadores, Ministério Público e demais poderes. “Nosso diálogo é constante em defesa da vida e para cuidar, em primeiro lugar, da saúde do povo do Rio Grande do Norte”.

Fátima Bezerra lembrou que há uma crise mundial de falta de medicamentos, equipamentos, insumos e também de recursos humanos. “Reafirmo que todos os esforços e recursos que recebemos e dispomos estão disponibilizados no portal da transparência, seja em recursos próprios, do governo federal, de doações. E a principal destinação é para UTIs e contratação de pessoal. Já contratamos mais de 3 mil profissionais e empenhamos R$ 100 milhões para garantir à população o direito de ter atendido e de sobreviver”.

A governadora disse que a prorrogação de medidas restritivas foi necessária. O adiamento do início da retomada das atividades econômicas segue recomendações do Comitê Científico de especialistas e dos Ministérios Público Estadual, Federal e do Trabalho. “Estamos chegando ao pico da pandemia e precisamos conter a propagação. No Brasil e no mundo vários estados e cidades que fizeram abertura tiveram que recuar e retomar as medidas restritivas”, registrou.

O questionamento judicial da prorrogação das medidas pelo setor produtivo é considerado normal pela chefe do Executivo estadual. “Nossa proposta de retomada das atividades econômicas foi apresentada pelo setor produtivo e é embasada no conhecimento científico. Espero que a Justiça mantenha a prorrogação até dia primeiro de julho como determina nosso decreto. Reconhecemos a necessidades do setor produtivo e do emprego, mas temos que cuidar da vida em primeiro lugar”.

Fátima colocou que os esforços para mitigar a pandemia não devem ser só do Governo estadual, mas dos demais poderes e dos municípios, através de suas prefeituras. “É preciso cumprir os decretos e o Pacto pela Vida para conter a propagação do vírus, ampliar o isolamento social e reduzir a pressão por leitos para retomarmos as atividades econômicas e sociais. O momento ainda exige cautela, precisamos de união, solidariedade, e que a população compreenda. Não temos vacina ainda. Estamos há mais de 90 dias com medidas restritivas, que exigem sacrifícios, mas estamos perto de atravessar a fase mais aguda da pandemia. Por isso a necessidade de nos integrarmos ao Pacto pela Vida. O retorno às atividades normais depende do recuo da taxa de transmissibilidade e da ocupação de leitos críticos”.

DADOS

A vigilância epidemiológica das Sesap continua registrando aumento de casos e mortalidade em consequência da Covid, principalmente nas regiões Oeste, Metropolitana de Natal e Vale do Açu. Segundo a subcoordenadora de vigilância epidemiológica, Alessandra Luchessi, os técnicos da Sesap estão visitando as várias regionais de Saúde para prestar apoio integrado junto aos municípios e melhor execução e acompanhamento das medidas protetivas.

Nesta quarta-feira,24, são 21.844 casos confirmados (pessoas que iniciaram sintomas nas últimas semanas), 32.240 descartados, 814 óbitos confirmados (3 nas últimas 24 horas) e 99 óbitos em investigação.

O secretário adjunto de saúde, Petrônio Spinelli, informou que a taxa de ocupação de leitos é de 100% na região Oeste, 83,3% Pau dos Ferros, 95,4% na região metropolitana de Natal, 96% no Seridó (recebe pessoas de todo o Estado) e 100% em Guamaré. Ele informou também que o Governo trabalha para agilização do transporte sanitário para a internação nos leitos específicos Covid.

FONTE: Blog do BG

ELEIÇÕES 2020: Senado aprova em primeiro turno PEC que adia as eleições

O plenário do Senado Federal aprovou em primeiro turno nesta terça-feira (23) a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 18/2020, que trata do adiamento das eleições municipais de 2020 em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

A matéria foi aprovada por 67 senadores, recebeu oito votos contrários e duas abstenções. Os senadores irão votar a matéria em segundo turno ainda nesta terça.

De relatoria do senador Weverton (PDT-MA), a matéria prevê o adiamento para os dias 15 e 29 de novembro. Oficialmente, as eleições estão previstas para 4 e 25 de outubro.

Se as condições sanitárias, por causa do coronavírus, não permitirem realizar as eleições nesses dias (15 e 29/11), o TSE poderá alterar as datas até o dia 27 de dezembro.

Por se tratar de uma PEC, o projeto de adiamento do pleito só passará a valer caso alcance 49 votos favoráveis à mudança no Senado e 308 na Câmara, em dois turnos de votação.

Apesar do adiamento, o fato de as eleições continuarem previstas para este ano garante que o período dos atuais mandatos e a data da posse dos eleitos permaneçam inalterados. Prefeito, vice-prefeito e vereadores têm mandato de quatro anos e tomam posse em 1º de janeiro.

A proposta torna sem efeito, somente para as eleições municipais deste ano, o artigo 16 da Constituição, segundo o qual qualquer lei que alterar o processo eleitoral só se aplicará à eleição que ocorrer após um ano de sua vigência.

Prazos

 a partir de 11 de agosto: vedação às emissoras para transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato;

entre 31 de agosto e 16 de setembro: realização das convenções para escolha dos candidatos pelos partidos e a deliberação sobre coligações;

até 26 de setembro: partidos e coligações solicitem à Justiça Eleitoral o registro de seus candidatos;

após 26 de setembro: início da propaganda eleitoral, inclusive na internet;

a partir de 26 de setembro: que a Justiça Eleitoral convoque os partidos e a representação das emissoras rádio e de televisão para elaborarem plano de mídia;

27 de outubro: para que partidos políticos, as coligações e os candidatos, obrigatoriamente, divulguem o relatório discriminando as transferências do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha;

até 15 de dezembro: encaminhamento à Justiça Eleitoral do conjunto das prestações de contas de campanha dos candidatos e dos partidos políticos, relativamente ao primeiro e, onde houver, ao segundo turno das eleições;

 

FONTE: Informações da Agência Senado e Agência Estado

Governo do RN irá prorrogar decreto de isolamento social até o final de junho

Decreto será publicado na edição desta quarta-feira (24), do Diário Oficial do Estado

O Governo do Rio Grande do Norte irá prorrogar o decreto de isolamento social por mais sete dias. A informação foi dada pelo Secretário Estadual de Tributação, CaRNrlos Eduardo Xavier, nesta terça-feira (23).

Devido ao número de ocupação dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) no estado e a alta taxa de transmissibilidade do vírus, não é possível que seja feita a retomada das atividades econômicas.

De acordo com Carlos Xavier, o decreto de isolamento segue com os mesmo termos dos anterior, apenas com a alteração no seu prazo.

FONTE: Portal do AGORARN

IRMÃ DO SENADOR ” STYVENSON” RECEBE AUXÍLIO EMERGENCIAL E ELE DIZ QUE TOMARÁ AS DEVIDAS PROVIDÊNCIAS

A irmã do senador Styvenson Valetim (Podemos), Anne Kelly Valentim, recebeu auxílio emergencial do Governo Federal. O anúncio foi feito pelo próprio senador em vídeo publicado no perfil pessoal no aplicativo Instagram. Em uma postagem feita neste domingo (21), ele reclama do fato de a primogênita da família ter obtido os R$ 600. O político anunciou que vai devolver o dinheiro à Caixa Econômica Federal nesta segunda-feira (22).

O vídeo-desabafo do senador potiguar foi publicado horas depois de outro vídeo protagonizado por ele próprio. Nesta primeira postagem, ele critica pessoas que receberam o benefício federal de forma irregular. Após publicar o vídeo, ele pesquisou no site do Ministério da Cidadania se haviam utilizado os dados pessoais dele para obter o auxílio. “Eu vi que algumas pessoas, como o ‘Véio da Havan’ [o empresário Luciano Hang], estavam na lista”, explicou.

Após verificar que não estava entre os beneficiários, Styvenson colocou os dados da irmã, Anne Kelly, e, para a surpresa dele, o portal do Ministério da Cidadania mostrou que ela havia recebido R$ 600 em maio. Logo em seguida, ele mandou mensagem telefônica para irmã e pediu explicações.

Na casa da mãe do senador, em Ponta Negra, em um vídeo que mais lembra cenas de novelas mexicanas, o senador cobra esclarecimentos da família. “Mãe, deixe eu te dizer uma coisa, por mais que eu pregue a transparência, eu não consigo entender como as pessoas conseguem tirar dos que não têm. Estou dizendo que vou falar com o ministro e com a Caixa. Eu vou devolver os R$ 600”, disse ele.

Constrangida, com lágrimas nos olhos, Anne Kelly diz que pediu o auxílio por estar desempregada há vários meses. “Eu estou enquadrada. Estou desempregada. Pensei até que não iria passar pela análise”, explicou.

A renda emergencial básica por três meses para pessoas que ficaram sem rendimentos em razão da pandemia de covid-19, como trabalhadores informais e desempregados.

Durante a discussão entre a família, a voz de um homem – provavelmente o cunhado de Styvenson – reclama de o senador expor toda a família. “Isso é idiotice”, gritou. “Não é idiotice. Isso é público Não é porque é a minha irmã que eu vou passar a mão na cabeça”, retrucou o senador.

Com a irmã chorando, ele diz que fez o vídeo para evitar a exploração política e impedir que a imprensa o critique. “Eu sei que você não roubou, mas vai aparecer que você é irmã de senador. A imprensa é suja; a imprensa do Rio Grande do Norte é baixa; não dou dinheiro a seu ninguém aqui. Estou vindo para fazer o certo. É o meu sangue, mas não vou proteger”, relatou.

Por fim, ele diz que a irmã não precisava solicitar o auxílio, pois poderia ajudá-la. Ele também criticou a mãe por não ter informado sobre a situação financeira da irmã. “Ela poderia falar comigo. Eu não vou arranjar emprego para ela na prefeitura do Natal, no Governo do Estado ou em qualquer emprego público. Eu ajudo. Dinheiro não é mais importante que os valores que a gente aprendeu, não”, discursou.

Ainda de acordo com o senador, ele irá nesta segunda-feira (22) informar a situação ao ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni , e com a Caixa Econômica Federal (CEF) para devolver o dinheiro.

FONTE: Portal do AgoraRN

NATAL: Secretaria de Saúde de Natal recomenda usar ivermectina para prevenir e tratar coronavírus; SAIBA COMO

Segundo novo protocolo de tratamento da Covid-19, remédio, que é um antiparasitário, tem diminuído a replicação do novo coronavírus em ensaios laboratoriais

ASecretaria de Saúde de Natal (SMS) publicou nesta semana um novo protocolo para orientar médicos e profissionais de saúde em geral sobre o atendimento a pacientes com Covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus. O protocolo traz desde instruções sobre o acolhimento de casos suspeitos nas unidades de saúde até terapias medicamentosas para casos graves confirmados.

O documento, aprovado pelo secretário de Saúde, George Antunes, e pelo prefeito Álvaro Dias, recomenda o uso de medicamentos como a hidroxicloroquina até para pacientes com sintomas iniciais da doença. Além disso, indica especialmente a ivermectina como medida de prevenção. Não são citados estudos que comprovem a eficácia de nenhum dos remédios para conter a Covid-19.

O protocolo registra que a Covid-19 tem três fases. A primeira, que pode ser assintomática, é chamada de replicação viral e tem duração média de 5 dias. Podem surgir sintomas como febre, tosse, mal-estar e diarreia. “Na maioria dos pacientes, em particular os jovens sem comorbidades (fatores de risco), a doença encerra-se nesta fase e evolui para a cura”, diz o relatório.

Já a segunda fase é denominada inflamatória e inclui a persistência dos sintomas iniciais com o possível aparecimento de falta de ar e alteração de exames laboratoriais. Nessa etapa da doença, caso não haja intervenção medicamentosa ou reação do próprio organismo, o caso pode evoluir para o comprometimento dos pulmões e redução da oxigenação do sangue.

O protocolo da Secretaria de Saúde de Natal afirma que “a intervenção nesta fase pode trazer impacto no curso clínico da doença, reduzindo a possibilidade de agravamento do quadro clínico e, consequentemente, podendo reduzir internações em UTI e necessidade de suporte ventilatório invasivo”.

Na terceira fase, o paciente evolui para insuficiência cardíaca e pode ter uma piora no quadro inflamatório, o que normalmente exige internação em unidades de tratamento intensivo. O cenário pode evoluir para óbito.

Segundo as recomendações da SMS, o tratamento em pacientes com quadro sugestivo para Covid-19 deve ser iniciado de forma precoce, de preferência até 48 horas depois do aparecimento dos sintomas (fase 1 da doença), mesmo que o nível de oxigênio no sangue esteja superior a 95% o raio-X de tórax apresente resultado normal. Os pacientes que estão no grupo de risco, como idosos, diabéticos, hipertensos e obesos, devem ter prioridade no tratamento.

O TRATAMENTO
Para pacientes no estágio inicial da Covid-19, o protocolo indica o uso de hidroxicloroquina ou difosfato de cloroquina associado a azitromicina e zinco quelato, além de antibióticos e Tamiflu caso haja suspeita de pneumonia bacteriana e gripe junto.

A Secretaria de Saúde recomenda aos médicos que, antes de prescrever a hidroxicloroquina ou a cloroquina, sejam realizados exames nos pacientes para que sejam identificadas eventuais contraindicações. O medicamento não é recomendado para cardiopatas, devido ao risco de arritmias.

Para os pacientes que não podem tomar cloroquina, o protocolo recomenda o uso associado de ivermectina e azitromicina, além de antibióticos e Tamiflu caso haja suspeita de pneumonia bacteriana e gripe junto.

O uso de corticoides, como a prednisona, não é indicado para a fase 1 da doença porque pode estimular a replicação viral.

Na segunda fase da doença, que comumente se inicia a partir do 6º dia de infecção, o protocolo da Secretaria de Saúde indica a adoção dos mesmos medicamentos da primeira fase, com a adição de corticoides e antitrombóticos (como a heparina).

Há também indicações para a fase 3 da Covid-19, mas elas são restritas a tratamentos no interior dos hospitais, em caso de internação.

PREVENÇÃO
De forma inédita, o protocolo também incluiu a recomendação da ivermectina como medida de prevenção à Covid-19. Segundo o documento, o remédio, que é um antiparasitário, tem diminuído a replicação do novo coronavírus em ensaios laboratoriais.

“Considerando seu perfil de segurança farmacológico (poucos efeitos colaterais), larga experiência de uso clínico em outras doenças, custo e comodidade posológica, esse medicamento revela-se como uma opção a ser utilizada não somente para tratamento, como também para a profilaxia, somada a outras intervenções não medicamentosas”, diz o documento.

De acordo com o protocolo, nesses casos (prevenção), a ivermectina deve ser usada por quem está altamente exposto ao vírus, como profissionais de saúde e da segurança, e por quem está no grupo de risco para a doença.

Para o primeiro grupo (profissionais de saúde), a recomendação da secretaria é tomar um comprimido de ivermectina 6 mg para cada 30 Kg de peso corporal, durante dois dias, e a cada 15 dias. Como exemplo, quem tem 90 Kg deve tomar três comprimidos em um dia e três comprimidos no outro – e repetir a dose duas semanas depois.

Já o segundo grupo de pessoas (que tem fatores de risco) deve tomar um comprimido de 6 mg a cada 30 Kg de peso corporal por apenas um dia, e a cada 15 dias.

O protocolo diz que é recomendável, após tomar duas doses do medicamento, avaliar a função hepática (fígado). Caso não haja alterações relevantes, o uso pode ser continuado. Também não se pode tomar mais que oito comprimidos por dia.

A utilização por pacientes jovens e saudáveis não é recomendado, assim como por crianças com menos de 5 anos, gestantes e lactantes.

Apesar de o protocolo trazer toda a forma de uso, incluindo dosagens, o documento diz que o uso deve ser orientado por um médico.

FONTE: AGORARN