ABELHAS SEM FERRÃO(Meliponas): Abelhas nativas do nordeste brasileiro, um pouco de sua História

Foto maravilhosa!

Que coisa linda a coleta de pólen de uma abelha sem ferrão!


Matriz Uruçu Verdadeira (M. scutellaris)

Matriz Uruçu Verdadeira (M. scutellaris)

Matriz de Mandaçaia

Matriz de Mandaçaia


Tiuba coletando nectar

Tiúba coletando nectar

Matriz de Jandaíra (M. subnitida)
Matriz de Jandaíra (M. subnitida)
No Nordeste Brasileiro, a meliponicultura tem se desenvolvido e está se tornando uma importante aliada no processo de desenvolvimento de algumas áreas da região, além de ajudar na reprodução de muitas espécies vegetais da caatinga e do que ainda resta da mata atlântica. 
Muitos meliponicultores, que sempre foram “criadores de abelha”(pois não conheciam técnicas racionais de criação), hoje em dia,j á dominam os segredos dessa prazerosa e importante atividade.
A cada dia, as abelhas nativas do Nordeste, são criadas por todo esse país, e mostram a sua força, impulsionando a meliponicultura nacional.
Dentre as abelhas nativas do nordeste brasileiro, que se destacam na criação racional, algumas tem uma importância significativa, pois são ótimas produtoras de mel, são bem adaptadas as caixas racionais e tem se adaptado a quase todos os Estados Brasileiros.
Bons exemplos dessas abelhas, são:a uruçu, jandaíra, mandaçaia da caatinga, manduri/rajada, a tiúba entre outras.
É claro, que existem outras espécies que também tem, seus valores e seus admiradores, afinal, o Brasil é um país rico em espécies de abelhas nativas (apenas estou falando das principais de nossa região nordeste).
Assim, como muitos irmãos Nordestinos ajudaram no desenvolvimento do nosso país, as nossas abelhas nativas, também estão ajudando a desenvolver a meliponicultura e conseqüentemente estão saindo da lista de espécies ameaçadas de extinção.
E isso é algo muito positivo, pois a cada dia, mais pessoas estão conhecendo e ajudando a preservar as nossas abelhas.


FONTE: Pesquisa realizada por este EDITOR, acrescido de um pouco conhecimento da realidade 
Um Comentário

Deixe uma resposta