CASO CUNHA: Jogo vira aos 45 do 2º tempo e com voto de Tia Eron, Comissão de Ética aprova cassação de Eduardo Cunha

Gritos.
Discussões.
Microfones desligados.
Vergonha…ou falta de vergonha.
Finalmente a Comissão de Ética votou o parecer do relator Márcio Rogério que se posicionou pela cassação do deputado afastado Eduardo Cunha.
Surpresas…
O deputado Wladimir Costa (SD) gritou que o PT era formado em grande parte por “ladrões e vagabundos”.
Ouviu que ladrão e vagabundo era ele e…votou pela cassação.
E a deputada Tia Eron, que foi apresentada ao Brasil como a defensora de Cunha…votou pela cassação dele.
E no jogo que foi até quase o final favorável a Cunha…virou o placar e terminou derrotando o presidente afastado da Câmara por 11 a 9.
Agora Cunha tem 5 dias para fazer sua defesa junto à Comissão de Constituição e Justiça, onde deverá ameaçar entregar deputados e empurrar o processo com a barriga como fez na Comissão de Ética.
Passado pela CCJ, o relatório segue para votação em plenário.
SIM: 11 votos
Betinho Gomes (PSDB-PE)
Júlio Delgado (PSB-MG)
Leo de Brito (PT-AC)
Marcos Rogério (DEM-RO), relator do processo
Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS)
Paulo Azi (DEM-BA)
Sandro Alex (PPS-PR)
Tia Eron (PRB-BA) – não tinha antecipado o voto
Valmir Prascidelli (PT-SP)
Zé Geraldo (PT-BA)
Wladimir Costa (SD-PA) – a expectativa era que ele votasse não
NÃO: 9 votos
Alberto Filho (PMDB-MA)
André Fufuca (PP-MA)
João Bacelar (PR-BA)
Laerte Bessa (PR-DF)
Mauro Lopes (PMDB-MG)
Nelson Meurer (PP-PR)
Sérgio Moraes (PTB-RS)
Washington Reis (PMDB-RJ)
Wellington Roberto (PR-PB)

Deixe uma resposta