Deputados elegem crise econômica, seca e segurança pública como prioridades da Assembleia em 2017

Os deputados estaduais do Rio Grande do Norte voltaram ao trabalho na última quinta-feira (2) após a tradicional leitura da mensagem do governador do Estado
Foto: Divulgação / AL-RN
Os deputados durante a abertura dos trabalhos legislativos em sua maioria, eles elegeram a crise financeira, a segurança pública e o enfrentamento aos efeitos da seca como prioridades do ano nas discussões da Casa.
De acordo com o deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), que foi reconduzido à presidência da Casa para dirigir a AL no próximo biênio (2017/2018), as questões mais críticas que afetam o Rio Grande do Norte no momento são a Segurança, Saúde e a insuficiência hídrica. Segundo ele, estes serão os principais compromissos da Assembleia Legislativa para o ano em curso.
“O ano legislativo se inicia com foco nos problemas mais graves que estão afetando a nossa população. A expectativa é que possamos ter boas notícias de projetos para o desenvolvimento do nosso Estado. A Assembleia é parceira nas ações governamentais em nome do Rio Grande do Norte e é nossa obrigação estar ao lado da população”, afirmou o parlamentar.
O deputado Getúlio Rego também citou saúde e educação como foco das discussões no ano de 2017. Para ele, o Legislativo deve contribuir com soluções para áreas de interesse primordial da população. “Vamos contribuir para um grande debate em torno do atendimento à população em setores estratégicos, como saúde, segurança pública, educação, além de recursos hídricos”, disse.
Cristiane Dantas (PCdoB) e Galeno Torquato (PSD), deputados da base aliada de Robinson Faria, destacaram a contribuição que a AL tem a dar para ajudar o governo a sair da crise. Segundo Cristiane, os deputados terão que focar na criação de projetos que ajudem o estado a criar “novas perspectivas” nas finanças. Galeno concorda, e disse que “a Assembleia está pronta para ajudar o Governo do RN e o povo do nosso estado”.
Prioridades para os deputados:
Cristiane Dantas
“Temos que lidar com a crise, que já vinhamos enfrentando, tanto da seca, quando a financeira do Brasil, que especialmente aqui no nordeste tem uma extensão maior. Acho que esses problemas financeiros são os que vão nos desafiar mais aqui para elaborar projetos para que possamos ajudar o estado a ter novas perspectivas”.
Galeno
Creio que a Assembleia não tem entraves para discutir no ano, mas o Governo do Estado, assim como outros governos no Brasil, tem muitos desafios a enfrentar, principalmente envolvendo a crise econômica e a crise hídrica. O Brasil nunca passou por cinco anos de seca, principalmente a região Nordeste. Estamos numa transição política e econômica. A Assembleia passou esse primeiro biênio também enfrentando esses desafios e está pronta para ajudar o Governo do RN e o povo do nosso estado.
Getúlio Rego
Os principais desafios são contribuir para um grande debate em torno do atendimento à população em setores estratégicos, como saúde, segurança pública, educação, além de recursos hídricos, para que tenhamos uma inspiração de Deus que possa recuperar nosso inverno a fim de dinamizar nossa agricultura, nossa pecuária, e devolver os empregos à população que está sofrendo de forma catastróficas. Esse é o grande desafio: buscar união das forças políticas na construção de um horizonte bem mais promissor.
Ezequiel
Diante dessa imagem negativa que foi passada pelo caos que nós assistimos durante muitos dias em Alcaçuz, o Governo do Estado tem, junto com a classe política, a oportunidade de buscar recursos do Governo Federal e resolver em definitivo o problema do sistema carcerário. Além disso, temos problemas na saúde, na segurança, e o problema da seca. Ela traz um prejuízo incalculável para o setor primário, tanto com a perda do ativo produtivo, quanto com a preocupação dos grandes reservatórios de água que já estão com seus índices baixos e precisamos da chuva para alimentar esses mananciais.

Deixe uma resposta