Deputados questionam segurança do WhatsApp

videowhatsOs deputados Delegado Éder Mauro, Silas Freire, JHC e Eduardo Bolsonaro questionaram o representante do WhatsApp, Mark Kahn, sobre a impossibilidade técnica do aplicativo de armazenar dados e e fornecê-los às autoridades em investigações de crimes. Os deputados também questionaram o fato de a empresa ter sede nos Estados Unidos e não manter funcionários no Brasil. Mark Kahn explicou que o serviço foi desenvolvido para que as mensagens não fossem armazenadas. “Uma vez que são enviadas não ficam em nosso servidor. isso é que faz o serviço ser rápido e eficiente”, informou.
Segundo Kahn, mesmo com ordem judicial é impossível interceptar essas informações, porque eles não dispõem da chave do código. Ele admitiu que não há escritório no Brasil ou em qualquer outro país que não seja os Estados Unidos. “Somos só 110 funcionários”, explicou. Kahn também informou que há um canal exclusivo para atender autoridades em situações emergenciais, quando há risco de vida. O executivo do WhatsApp também destacou que a grande maioria dos usuários estão usando o aplicativo para finalidades produtivas e não criminosas.

Deixe uma resposta