Exploração de petróleo em debate durante Congresso no Centro de Convenções

Os aspectos mais importantes da exploração da produção de campos de petróleo terrestres, bem como o seu desenvolvimento em todo o país,  estão sendo apresentados durante a 4ª edição da Feira e Conferência Brazil Onshore, que acontece em Natal de hoje ao dia 27 de novembro, no Centro de Convenções.  Líder na produção de petróleo nesse campo, o RN é destaque na conferência quanto a sua importância na cadeia produtiva do país.
De acordo com o diretor-presidente do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE), Jean-Paul Prates, o evento é fundamental para reafirmar a importância da continuidade da atividade petrolífera terrestre no Rio Grande do Norte.
“É preciso mantermos o nosso Estado como líder e principal referência no Brasil para a produção terrestre, de modo a continuarmos tendo o controle e gerência das sondas terrestres aqui, manter o foco das discussões da continuidade dos campos maduros, revitalizar os campos e buscar novas tecnologias e parceiros”, disse.
Uma das maiores autoridades do país em petróleo, Jean-Paul Prates destacou que os campos terrestres de exploração não podem ser vistos com menos importância, quando relacionados à exploração em alto mar. Atualmente, o Estado produz cerca de 58 mil barris de petróleo por dia.
“Os campos terrestres podem até se mostrar hoje com menos importância para o volume de produção brasileira, tendo em vista que atingimos um volume confortável com reservas marítimas (Pós-Sal e Pré-Sal). Mas nós não podemos pensar assim. Exploração terrestre no RN não significa uma importância apenas volumétrica de reserva. Trata-se de desenvolvimento das cidades, de manter operações, de manter o domínio de tecnologia e, principalmente, da geração de emprego e renda”, comentou.
Apesar de o Congresso estar focado na produção ‘onshore’ – serviços realizados em terra – há também que destacar o RN com seu novo ‘offshore’ – serviços prestados em alto mar. “Nossa novidade em offshore em águas profundas, a partir do campo de Pitu, tem uma grande importância para nós. Antes estávamos restritos à área de calado raso (águas rasas). Mas com essa descoberta de Pitu, daremos um novo passo para aquisição de novas reservas em águas profundas”, disse Prates.
Uma das participações do primeiro dia do Congresso em Natal foi a de Álvaro Teixeira, conselheiro do Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP). Segundo ele, o país precisa investir na criação de pequenas/médias empresas nacionais exploradoras de petróleo, de modo a dar suporte à Petrobras através do advento das novas tecnologias de produção/exploração.
“Nossa capacidade exploratória, no atual momento vivido pelo país, está um tanto parado. A crise política que a Companhia vem passando pode ainda lhe causar alguns problemas, mas a Petrobras é suficientemente forte para se recuperar. Esse poderia ser um bom momento de fomentar a criação de novas empresas nacionais, para que o nosso rumo não se perca”, destacou.
A Brazil Onshore é o principal evento brasileiro especificamente voltado para atividades petrolíferas em terra. Mais de 400 conferencistas de países como EUA, Canadá e México debaterão os desafios e soluções tecnológicas para a produção de petróleo terrestre no Brasil. Outros temas abordados nos painéis tratarão sobre a viabilidade econômica de campos marginais, licenciamento ambiental de poços terrestres e temas técnicos como tecnologias acessíveis para campos terrestres marginais, e reservatórios não convencionais.
Paralelo ao Congresso, uma área de exposição no Centro de Convenções conta com 80 empresas, entre fornecedores de equipamentos e companhias de serviços, expondo produtos e novas habilidades tecnológicas. Entre as empresas participantes estão a Petrobras, Schlumberger, Parnaíba, Pavilhão Canadá e Start Ups.
Novos negócios
Empresas que desejam se tornar fornecedoras de produtos ou prestar serviços para grandes corporações da cadeia produtiva do petróleo, gás e energia têm a oportunidade de fazer contato com representantes de oito companhias dessa área no Brasil e no mundo. Promovida pelo Sebrae no Rio Grande do Norte, a Rodada de Negócio de Petróleo, Gás e Energia vai aproximar pequenos negócios dessas companhias e terá uma sessão nacional e outra internacional.
A iniciativa será realizada na quarta-feira (26), das 14h às 18h, no Centro de Convenções, dentro da programação da quarta edição da Brazil Onshore. As inscrições para a rodada podem ser feitas previamente pela internet, no site www.rodada.com.br, ou pelo telefone 3616-7858.
Há possibilidade de negócios em cerca de 32 áreas somente para prestação de serviços específicos da área de produção e exploração, além do fornecimento de bens e suprimentos para o setor.

Deixe uma resposta