Garibaldi Filho compara ‘crise d’água’ no Sudeste à discriminada seca no Nordeste

Para Garibaldi, enquanto “crise hídrica” é problema nacional, a seca do Nordeste é tratada com discriminação

A população do Sudeste do País está experimentando, agora, uma situação que um grande número de nordestinos já está acostumada a enfrentar: a falta d’água. Conhecida popularmente como “seca” por aqui, a chamada “crise hídrica” de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais (entre outros estados) está provocando uma mobilização nacional para combater seus efeitos. E é isso que o senador potiguar Garibaldi Alves Filho e o deputado federal Walter Alves, ambos do PMDB, chamam a atenção, tentando trazer para o Nordeste e, claro, para o Rio Grande do Norte. A intenção deles é que essa união de esforços não fique apenas no Sudeste e, ajude, também, a concluir obras antigas e há muito esperadas pelos nordestinos, como a transposição do Rio São Francisco.
“Creio que não podemos deixar de, neste momento, entrar no debate em torno da chamada ’crise hídrica’ do Sudeste, que conhecemos como ‘seca’ no Nordeste, para pleitear soluções de caráter mais definitivo para a nossa região, como está sendo cobrada para o Sudeste”, afirmou o senador/ex-ministro da Previdência Social. “A situação é dramática hoje no Sudeste como sempre foi no Nordeste mas, durante muito tempo, o Nordeste foi alvo de ações paliativas e, infelizmente, se vislumbrava o nosso quadro com certa discriminação”, acrescentou Garibaldi Filho.
Essa discriminação apontada pelo senador se refere ao fato de que muitos, principalmente de outras regiões do País, diziam que a seca no Nordeste não era resolvida devido à chamada “Indústria da Seca”, que seria caracterizada pelo desinteresse político em resolver a situação, mantendo, assim, os eleitores dependentes dele. “Pode ser que tenha havido algum abuso, mas nunca como algo generalizado”, analisou Garibaldi Filho.
Além da situação de estiagem contínua, Garibaldi Filho – que já foi governador do Estado e teve como um dos principais feitos, justamente, o combate a seca – atribuiu à falta de recursos e à ausência de projetos como motivadores para a continuidade dos efeitos drásticos causados pela estiagem. Hoje, com os técnicos existentes no Estado, para o senador, essa questão já não mais existe, e ele citou a continuidade de obras como a Oiticica e a de Santa Cruz como exemplos.
“Acredito que, neste momento de mobilização nacional, deve haver a união em torno da intensificação de uma obra que há anos se arrasta e que poderia contribuir muito para resolver esse problema da seca no Nordeste, que seria a transposição do Rio São Francisco”, analisou Garibaldi Filho. “Agora, que infelizmente o problema está atingindo também outras regiões, creio que devemos partir para um debate onde possamos enfrentar essa questão de uma maneira mais amadurecida e dispondo de recursos maiores em termos financeiros do que foram despendidos até o momento”, acrescentou o senador.
Walter quer integrar Comissão para ajudar a trazer recursos para Estado
Filho do senador Garibaldi, o deputado federal Walter Alves parece carregar no seu DNA o interesse por combater a seca do Nordeste e, principalmente, do Nordeste. E, também ouvido pel’O Jornal de Hoje, o parlamentar afirmou acreditar que essa mobilização nacional seja boa para a região nordestina, que poderá se aproveitar da maior discussão em torno do tema para buscar soluções definitivas para o problema.
“Realmente, quando o Sudeste passou a sofrer com o problema da falta d’água, parece que a mobilização passou a ser muito maior em torno do assunto. Até aqui na Câmara Federal já querem fazer uma Comissão especial para discutir o assunto de maneira mais séria”, revelou Walter Alves.
Segundo o deputado federal, a intenção dele neste momento é integrar essa Comissão, inclusive, com o intuito de trazer obras e ações para o Rio Grande do Norte, além de cobrar a conclusão da transposição do Rio São Francisco, uma ação que ajudaria a amenizar o problema de toda a região Nordeste, mas que se arrasta há anos.
Apesar de nunca ter havido essa mobilização nacional em torno do assunto “estiagem”, Walter Alves lembrou que o assunto sempre foi tratado no Rio Grande do Norte e citou a gestão do pai dele como exemplo. Governador do Estado até 2002, Garibaldi Filho foi responsável por iniciar o programa de adutoras que levou água para várias regiões onde antes a seca era extrema.
“Havia pessoas morrendo de sede naquela época e Garibaldi ajudou a acabar com esse problema. O Governo Garibaldi é uma prova que o Estado trabalhou combater os efeitos da seca, mas infelizmente a situação ainda persiste”, acrescentou o deputado federal.

Deixe uma resposta