Ministro do STJ defende renuncia de Dilma, Temer, Renan e Cunha

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) João Otávio de
Noronha disse nessa sexta-feira que o país deveria passar por um
referendo popular para definir sobre a destituição ou não da presidente
Dilma Rousseff. “Não deveríamos nem estar discutindo essa questão do
impeachment. Deveríamos fazer uma consulta popular. Deixa o povo
decidir, aí acaba a ideia de golpe”, avaliou ele em visita a Belo
Horizonte.  O ministro afirmou que lamenta que Dilma e os presidentes da
Câmara e do Senado sejam investigados. “Em uma democracia europeia,
certamente ninguém estaria mais no poder. No Brasil, nós nos damos ao
luxo dos três chefes de poder serem investigados ao mesmo tempo. Um
gesto de grandeza seria a renúncia dos três, pelo bem do país”, disse.
Noronha ainda respondeu às críticas de Lula nas gravações telefônicas
em que o ex-presidente diz que o STJ estaria acovardado. “O STJ não é
um tribunal de juízes covardes, que nunca fez parcerias ou recebeu
qualquer doação de empreiteiras ou de outros órgãos que participam de
licitações ou que ajustam contratos com a administração pública. O
tribunal é composto de homens idôneos, extremamente sérios”, completou.
O Estado de Minas

Blog do BG:

Deixe uma resposta