Mossoroenses apostam no inhame como tratamento para doenças ligadas ao Aedes

Diante do surto de viroses e doenças
transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti – que lota as unidades de saúde
de Mossoró, assim como em diversas partes do país – um alimento em
especial vem se destacando no tratamento e alívio dos sintomas nos
pacientes.
Especialistas apontam o inhame como
alimento importante para o tratamento de doenças que atingem
principalmente o sistema imunológico.
A aposentada Marinete Mendonça aderiu ao
inhame como alternativa para as dores que vem sentindo nas
articulações. Ela conta que melhorou significativamente após ingerir o
suco do tubérculo.
“Não sei se foi do inhame ou do
antibiótico que também estou tomando, o fato é que melhorei sim, antes
até para andar eu tinha dificuldade, agora meu pé está menos inchado e
consigo circular pela casa quase que normalmente”, diz ela, que suspeita
ter sido infectada por uma das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.
Para a dona de casa Késia Morais, o
alimento também ajudou bastante no tratamento de sua mãe, que está com
suspeita de Chikungunya há cerca de 40 dias. “Minha mãe só está andando
por causa do inhame”, disse ela ao MOSSORÓ HOJE.
Para a nutricionista Jarda Jacinta, o
alimento, de fato, auxilia no tratamento de doenças transmitidas pelo
Aedes aegypti, porque age no fortalecimento do sistema imunológico.
“Essas doenças atingem o sistema
imunológico da pessoa e como o inhame é composto por antioxidantes, ele é
muito interessante para ser ingerido, ou seja, por ser um antioxidante
tem compostos ativos que agem diretamente no fortalecimento do sistema
imunológico”, afirma.  
Jacinta recomenda que o tubérculo seja
ingerido em forma de suco ou cozido. Segundo ela, quem foi infectado
pelas doenças transmitidas pelo Aedes devem também ingerir alimentos
ricos em vitamina C.  “Os pacientes devem se alimentar da forma mais
natural possível. Devem evitar os alimentos industrializados e ingerir
vitamina C, principalmente frutas como goiaba e acerola, por exemplo”,
afirma Jacinta.
A nutricionista destaca que qualquer
pessoa pode ingerir o inhame, pois não há restrição, mas, claro, não se
pode exagerar. Duas rodelas cozidas no café da manhã, por exemplo, são o
suficiente.
O infectologista Alfredo Passalacqua
reafirma que as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti deixam o sistema
imunológico enfraquecido. “Essas doenças afetam principalmente as
crianças e idosos, esses devem tomar muito cuidado”, diz, acrescentando
que alimentação baseada em verduras e frutas, juntamente com o repouso,
são essenciais para a recuperação do paciente.  
Muitos mossoroenses já conhecem os
benefícios do inhame e isso resultou na alta procura pelo alimento,
levando à falta dele em alguns mercados da cidade. A vendedora Madalena
Costa afirma que vendeu nos últimos quatro dias o que não comercializou
em dois/três meses.  
Seu estoque já acabou e só deve ser
reabastecido na próxima semana. Antes ela vendia o kg de inhame entre R$
3 e R$ 4. Agora, a mesma quantidade é vendida por R$ 12.
Principais nutrientes do Inhame: 
Carboidrato, Proteína, Lipídios, Fibras totais, Vitamina B1, Cálcio, Ferro, Potássio.
TABELA DE PREÇOS:
Anteriormente – R$ 3,00 a 4,00
Atualmente – R$ 10,00 a 12,00

Deixe uma resposta