Novo governo precisará desenvolver e muito a economia no Interior do RN

Em funcionamento atualmente, Pró-Sertão está contribuindo para a abertura de pequenas facções em diversas cidades

Um dos grandes desafios do governador eleito Robinson Faria (PSD) a partir de janeiro de 2015, quando ele assumirá o Governo do Rio Grande do Norte, será organizar os recursos para atrair investidores e proporcionar desenvolvimento dos diversos setores de atividade do Estado. Na meta de geração de mais emprego e renda, os municípios do interior são os que mais carecem de investimentos. Para isso, planejamento, reorganização econômica e foco na aplicação dos recursos são de fundamental importância.
A avaliação foi feita pelo superintendente do Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) no RN, Zeca Melo, que destacou a prioridade de investir nas cadeias produtivas do Estado: “É preciso capacidade de investimento”.
“O Sebrae estará inaugurando em um futuro próximo escritórios na região do Mato Grande, nas proximidades de João Câmara, e no Médio Oeste (Apodi-Caraúbas), justamente para atender a demanda produtiva que está reprimida por falta de investimento. Nós poderemos ajudar o governador no que for preciso para atrair investimentos nessas e outras regiões”, comentou a O JORNAL DE HOJE.
Dentre as cadeias produtivas que merecem atenção do Governo, Zeca destacou a indústria agropecuária, petróleo e gás, mineração e indústria têxtil. “Um projeto que merece ações continuadas e novos investimentos por parte do Governo do Estado é o Pró-Sertão, que ajudou a instalar 47 novas pequenas fábricas de costura no interior. Pretendemos fechar este ano com 50 fábricas e conduzir os trabalhos de modo que no próximo ano esse setor receba mais 70 fábricas. É uma meta audaciosa do projeto, mas tem grande viabilidade, desde que haja apoio do Governo”, afirmou.
Com as 47 facções em atividade, em apenas um ano de implantação do Programa de Industrialização do Interior (Pró-Sertão) foram gerados aproximadamente 1.200 novos postos de trabalho. “Como disse, é preciso que o governador tenha capacidade de investimento. As dificuldades financeiras enfrentadas pelo Governo não é um problema só nosso. Está acontecendo em todo o país. Mas, com planejamento, as dificuldades são superáveis”, destacou Zeca Melo.
Durante campanha eleitoral, Robinson Faria afirmou que irá investir nas políticas públicas de desenvolvimento, recompor a capacidade de investimentos do governo, de modo a que seja capaz de elevar o atual conjunto de investimentos. Desta forma, o Governo do Estado poderá atrair e viabilizar ações de infraestrutura, notadamente logística (rodovias, portos, aeroportos e ferrovias).
“Da mesma forma, vamos selecionar cadeias produtivas importantes já existentes, ou a serem implantadas, e dar amplo apoio institucional para o seu desenvolvimento. No nosso governo vamos privilegiar as micro, pequenas e médias empresas, bem como a articulação destas com grandes empresas âncoras, tendo como foco de atuação os Arranjos Produtivos Locais. Vamos ainda implantar as ZPEs (Macaíba e do Sertão), que anos depois de autorização de funcionamento ainda não tiveram sua implementação viabilizada pelo recente governo e governos passados, aprimorando seu projeto, sua composição e atratividade”, afirmou Robinson Faria.

Deixe uma resposta