O fim está próximo

Junte uma crise econômica nacional sem precedentes a um mercado publicitário local carente de anunciantes privados e ao advento dos espaços jornalísticos virtuais. Aí, então, é possível ter a dimensão aterradora da realidade que desaba sobre os jornais impressos em qualquer cidade do Brasil.
No RN, depois das mortes do Diário de Natal, O Jornal de Hoje, Gazeta do Oeste, Correio da Tarde e O Mossoroense, parece se aproximar a hora dos últimos suspiros das edições impressas da Tribuna do Norte e do Novo, únicos da capital.
Fontes internas nos dois diários dizem que a situação complica a cada dia e já há diretor, em ambos, prevendo e sugerindo o fim breve.

Deixe uma resposta