Presidente do STF quer posição de Gilmar sobre pedido de suspeição

Não há, entretanto, um prazo para que o ministro responda à requisição
Cármen Lúcia fez requisição ao ministro nesta segunda-feira (28)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes terá de se manifestar sobre o pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para que ele seja afastado do caso envolvendo o empresário Jacob Barata Filho, conhecido no Rio de Janeiro como “o rei do ônibus”.
A solicitação a Gilmar foi feita nesta segunda-feira (28) pela presidente do STF, ministra Cármen Lúcia.
Não há, entretanto, um prazo para que o ministro responda à requisição – e, quando assim o fizer, a presidente do Supremo ainda terá de marcar uma sessão no plenário para que os demais ministros decidam se Gilmar permanece no caso ou não.
Na avaliação de Rodrigo Janot, Gilmar Mendes não tem isenção suficiente para tratar do caso principalmente por dois motivos: ele foi padrinho de casamento da filha de Barata e tem a esposa trabalhando em escritório de advocacia que representa empresas ligadas ao empresário.
Fonte: Notícias ao Minuto

Deixe uma resposta