Robinson Faria vai a estados vizinhos sondar parcerias e conhecer projetos de sucesso

O governador eleito do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, irá a Fortaleza, no Ceará, no início desta semana, para uma audiência com o governador Cid Gomes (PROS). Ele também deverá visitar os Estados de Pernambuco e da Paraíba neste início de dezembro. O objetivo é aprofundar informações sobre projetos vitoriosos que deseja implantar durante a sua gestão, como “Ronda do Quarteirão”, e sondar parcerias que visem a diminuir a fronteira entre os estados, sobretudo no campo econômico.
A informação foi revelada esta manhã pela equipe de transição do governo. Já nesta segunda-feira, dia 1º de dezembro, o futuro governador do Estado terá uma audiência, às 15 horas, no Palácio da Abolição, sede do governo do Estado do Ceará. O encontro está agendado e será diretamente com o governador Cid Gomes.
O Programa Ronda do Quarteirão pode ser definido como uma nova estratégia de fazer polícia. Nele, os esforços estão concentrados na filosofia de polícia comunitária que consiste em uma tentativa de criar uma polícia técnica mais próxima da sociedade, fazendo dos agentes de segurança pública, agentes transformadores da pacificação social.
Na concepção do Programa Ronda foram estabelecidos focos prioritários como: a criação de polícia de proximidade, a utilização do uso legal e proporcional da força, por meio do irrestrito respeito aos direitos humanos, a qualificação em consonância com a utilização de tecnologia avançada e a interação com a comunidade.
No Ceará, o Programa elegeu como centro de confluência dos interesses comuns de segurança um núcleo urbano geo-referenciado, com uma área de 1,5 a 3 quilômetros quadrados, onde existe um número de telefone que corresponde ao número da viatura.
As características do Ronda tem fundamento na filosofia de polícia comunitária, em que a interação com a comunidade é realizada por meio de visitas às residências, escolas, condomínios, praças e outros. A permanência da mesma equipe de policiais em cada área de serviço proporciona aos moradores um laço de confiabilidade perdido pelo policiamento tradicional.
Inicialmente, o programa implantou cinco áreas de Fortaleza como projeto piloto, que teve a diversidade como fator de escolha – uma área muito pobre, área pobre, área de classe média, área nobre e área residencial de população com predominância operária, com grande fluxo de pessoas e cidades dormitório, foram os aspectos escolhidos por decisão do chefe do Poder Executivo cearense.
OUTROS DESTAQUES
Além de conversar sobre o Ronda do Quarteirão, a audiência de Robinson com o governador Cid Comes visa a conhecer um pouco mais da expertise do governo cearense no enfrentamento a outros problemas comuns entre os estados. Programas nas áreas de educação e saúde, bem como desenvolvimento econômico estarão na pauta entre o governo que saí no Ceará, e o que entra no RN.
O governador eleito do Ceará, Camilo Santana, é do PT, e Robinson também estuda a possibilidade de criar parcerias. No Rio Grande do Norte, o Partido dos Trabalhadores é parceiro do governo Robinson e o fato de Camilo pertencer à legenda facilitará os entendimentos, na visão de integrantes da equipe de transição do futuro governo potiguar.
Com o futuro governo do Ceará, a tomar posse, assim como ele, em janeiro que vem, Robinson pretende firmar parceria para tentar diminuir a fronteira entre Mossoró e Ceará, com investimentos focados no polo cimenteiro, por exemplo.
PE E PB
Ainda neste mês de dezembro, Robinson deverá visitar os Estados da Paraíba e de Pernambuco. A ideia de visitar esses estados é, também, conhecer projetos vitoriosos. Ambos estados têm parcerias de sucesso no campo do desenvolvimento econômico, a exemplo de um distrito industrial em comum, no setor automotivo.
Tal parceria entre a Paraíba e o Ceará permite, por exemplo, que os dois estados produzam peças para o pólo automobilístico, sem haver concorrência entre as duas federações. Enquanto que as fábricas existentes em Pernambuco desenvolvem determinadas peças, as outras são feitas na Paraíba, e vice e versa.
Entre os benefícios de tal parceria, na qual Robinson pretende se inspirar para propor projetos semelhantes à frente do governo do RN, está evitar brigas em torno da arrecadação de ICMS entre os estados e também acabar com a fronteira física entre os Estado, diminuindo as distâncias entre eles.

Deixe uma resposta